Acesse o menu principal
Blog do Google Brasil
Fotos

Fontes Noto preservam línguas ameaçadas de extinção



Línguas minoritárias ou ameaçadas de extinção estão enfrentando um momento de crise. De acordo com a UNESCO, pelo menos 43% das seis mil línguas faladas no mundo estão em risco de extinção. Entre os idiomas em perigo, 190 deles estão no Brasil. Mesmo sendo neta de falantes de uma língua ameaçada de extinção e apaixonada pela preservação das línguas há muitos anos, só recentemente compreendi que as fontes — os símbolos que aparecem quando digitamos no teclado — desempenham um papel fundamental na digitalização e preservação, na internet e no meio impresso, de línguas minoritárias. Até agora, muitas línguas minoritárias não tinham fontes que as representassem.


A família de fontes Noto, de código aberto, disponível gratuitamente no Google Fonts, oferece suporte à leitura e escrita em centenas de idiomas, daqueles com bilhões de leitores a aqueles falados por pequenas comunidades linguísticas. A Nação Cherokee, com cerca de 20 mil falantes, usa o Noto em celulares para mensagens de texto e e-mails e para ensinar seu idioma nos EUA. O Noto é usado todos os dias em tibetano, por milhões de usuários africanos e em centenas de línguas asiáticas. O governo da Colúmbia Britânica, província canadense com cinco milhões de habitantes, queria uma única fonte para grafar todas as suas línguas, incluindo as nativas americanas, e para isso fundiu a Noto Sans com a Noto Sans Canadian Aboriginal, criando assim a BC Sans.

“Nossa língua carrega o conhecimento desta terra,Nossa língua carrega o conhecimento de quem somos,Nossa língua carrega nosso futuro”
O texto acima está na língua indígena cree, escrito com a fonte BC Sans (em cree, transliterado em latim e em inglês). (Fonte do texto: Governo da Colúmbia Britânica, Canadá)
O nome “Noto” vem da missão “NO TOfu", que tem como objetivo eliminar as caixas semelhantes a um tofu (𛲢𛲡𛲠) que aparecem quando não há fonte disponível para o texto de um usuário. O Noto oferece fontes para 146 sistemas de escrita e mais de 800 idiomas e possibilita atividades de leitura e escrita a falantes de línguas minoritárias, entre elas estão duas indígenas do Brasil, Guarani e Kaingang. 


O Noto é o maior repositório de fontes para idiomas ameaçados. Alinhado ao apoio do Google.org ao Endangered Languages Project (projeto de línguas ameaçadas de extinção) e ao patrocínio do Google da Conferência Internacional de Tecnologias de Idiomas para Todos, da UNESCO, o Noto é o ambicioso projeto de fontes Unicode do Google que tem como objetivo oferecer suporte contínuo a 100% dos caracteres Unicode, a cada ano, com fontes totalmente funcionais . O Noto ganhou o prêmio Beazley Design Museum Designs of the Year em 2017.


Em desenvolvimento desde 2012, o Noto atualizou recentemente sua página no GitHub. A nova página inicial de github.com/notofonts tem um projeto com Git para cada um dos sistemas de escrita, com todas as fontes disponíveis no repositório de fontes Unified Font Object (UFO), amplamente suportado, ou no formato .glyphs. Também temos um novo sistema de compilação sob demanda, acionado assim que alguém atualiza uma fonte que utilize o compilador de código aberto fontmake, do Google Fonts. Com isso, as fontes Noto são agora mais verdadeiramente de código aberto, serão melhor documentadas e estarão disponíveis para contribuições de um número muito maior de pessoas.


Digitalização de línguas ameaçadas

Uma fonte e um teclado são necessidades cruciais para as línguas na era digital, mas mais importante ainda é o suporte Unicode.
O design de tipos é a disciplina de criação de fontes físicas ou digitais, coleções coerentes de formatos de letras que hoje costumam ser chamados de fontes e que são representações digitais dos tipos. As fontes permitem a comunidades digitalizar documentos, publicar textos culturais e religiosos online e usar mídias digitais ao ensinar algo para os filhos. Esse processo de digitalização preserva o conhecimento e permite conexão e comunicação entre gerações. 


Com ele, é possível manter a ligação com aldeias e famílias, mesmo estando fisicamente distante. Membros de uma diáspora urbana podem se manter em contato com outras pessoas da mesma comunidade linguística usando uma fonte específica na impressão de pôsteres, material didático, livros e boletins informativos, entre outros. As gerações mais novas de estudantes de línguas podem usar as fontes Noto para aprender a ler e escrever em línguas ameaçadas de extinção, trocar mensagens de texto e e-mails e para se comunicar nas mídias sociais. Em última análise, as fontes são uma espécie de “infraestrutura essencial” para cada cultura, um meio para armazenar e transmitir seu tom emocional.


Acessibilidade

A capacidade de ler idiomas minoritários digitalmente por meio da ampliação do texto melhora a acessibilidade de conteúdo antigo e moderno nesses idiomas. Para mim, as línguas e seus sistemas de escrita são importantes porque sou multilíngue e ativista de línguas ameaçadas de extinção. Na preparação do documentário Saved by Language, sobre um menino que se salvou do Holocausto por falar ladino, língua judaico-espanhola em risco de extinção, e da minha palestra TedX sobre a preservação, por meio da música, de línguas ameaçadas, precisei ler impressos de cem anos atrás. Como sou parcialmente cega, era difícil ler aquelas letras pequenas com tipografia densa em papel descolorido. Se aqueles documentos tivessem sido digitalizados e os usuários pudessem usar facilmente o zoom para ler em um computador ou outro dispositivo eletrônico, eles seriam mais acessíveis e úteis para todos. As fontes Unicode, que incluem o Noto, resolvem os problemas anteriormente enfrentados por comunidades de línguas minoritárias quando tinham que publicar imagens de textos sem codificações Unicode. Essas imagens não eram legíveis por leitores de tela e, muitas vezes, eram difíceis de ler quando ampliadas.


Para algumas comunidades, a fonte Noto específica para seu sistema de escrita pode ser a única maneira de usar seu idioma digitalmente, por falta de outras fontes compatíveis. Incentivo o leitor a descobrir as fontes Noto disponíveis para as línguas de seu interesse.