Acesse o menu principal
Blog do Google Brasil

Saúde

The Check Up: nossas mais recentes inovações de IA na área da saúde



Ao longo dos anos, as equipes do Google se concentraram em como a tecnologia — especificamente a inteligência artificial e inovações de hardware — podem melhorar o acesso a cuidados de saúde de alta qualidade de forma mais equitativa no mundo.

Acessar os cuidados de saúde certos pode ser um desafio dependendo de onde as pessoas vivem e se os cuidadores têm equipamentos especializados ou treinamento para tarefas como triagem de doenças. Para ajudar nisso, o Google Health expandiu suas pesquisas e aplicações para melhorar os cuidados que os médicos fornecem e permitem que esses cuidados aconteçam fora dos hospitais e consultórios médicos.

Hoje, em nosso evento do Google Health, o The Check Up, compartilhamos as novas áreas de pesquisa e desenvolvimento de produto e contamos mais sobre como estamos fornecendo ferramentas fáceis de usar para ajudar médicos a cuidarem melhor de seus pacientes. Veja algumas de nossas inovações em IA:

O potencial das câmeras de smartphones para proteger a saúde cardiovascular e preservar a visão

Um dos nossos primeiros projetos de inteligência artificial para a saúde, o ARDA, visa ajudar a abordar os exames de retinopatia diabética — uma complicação do diabetes que, se não diagnosticada e tratada, pode causar cegueira. Hoje fazemos exames de 350 pacientes diariamente, resultando em cerca de 100.000 pacientes examinados até o momento. Recentemente, completamos um estudo prospectivo com o programa nacional de exames da Tailândia, que mostra o quanto os exames do ARDA são precisos e capazes de serem implantados com segurança em várias regiões, para assim apoiar a acessibilidade aos exames oculares.

Além da doença ocular diabética, o Google revelou como é possível usar machine learning para revelar fatores de risco cardiovasculares, como níveis elevados de açúcar no sangue e colesterol, por meio de fotos do interior (ou fundo) dos olhos. Nossa pesquisa recente aborda a detecção de doenças relacionadas ao diabetes a partir de fotos do exterior do olho, usando câmeras de mesa existentes em clínicas. Com os primeiros e promissores resultados, estamos ansiosos por pesquisas clínicas com parceiros para investigar se fotos de câmeras de smartphones também podem ajudar a detectar diabéticos e não-diabéticos a partir de fotos da parte externa do olho. Embora isso esteja nos estágios iniciais de pesquisa e desenvolvimento, nossos engenheiros e cientistas vislumbram um futuro em que as pessoas, com a ajuda de seus médicos, possam compreender e tomar decisões sobre suas condições de saúde sem sair de casa.

Gravação e tradução de sons cardíacos com smartphones

Anteriormente, compartilhamos como os dispositivos móveis combinados com o machine learning podem democratizar as aferições e dar às pessoas insights sobre sua própria saúde e bem-estar diários. Este recurso já está disponível em mais de 100 modelos de dispositivos Android, bem como iOS. Nosso manuscrito descrevendo o estudo de validação prospectivo também foi aceito.

Hoje, estamos compartilhando uma nova área de pesquisa que explora como os microfones embutidos nos smartphone podem gravar as batidas do coração de uma pessoa quando colocado sobre seu peito. Ouvir o coração e pulmões de alguém com um estetoscópio, ato conhecido como auscultação, é uma parte crítica de um exame físico. Ele pode ajudar médicos a detectarem distúrbios cardíacos, como uma estenose aórtica - que é importante detectar precocemente. A triagem para estenose aórtica normalmente requer equipamento especializado, como um estetoscópio ou uma ultrassonografia, além da avaliação presencial.

Nossa pesquisa mais recente investiga se um smartphone pode detectar batimentos cardíacos e pulsação irregular. Nós estamos atualmente nos estágios iniciais de testes nos estudos clínicos, mas esperamos que nosso trabalho possa capacitar as pessoas a utilizar o smartphone como ferramenta adicional para uma avaliação mais acessível sobre sua saúde.

Parceria com a Northwestern Medicine para aplicar a IA a fim de melhorar a saúde materna em todo o mundo

O ultrassom é um método de diagnóstico por imagem não invasivo que utiliza ondas sonoras de alta frequência para criar fotos ou vídeos em tempo real de órgãos internos ou outros tecidos, como vasos sanguíneos e fetos.

Pesquisas mostram que o ultrassom é seguro para uso no pré-natal e eficaz na identificação precoce de problemas na gravidez. Entretanto, mais da metade das grávidas de países de baixa e média renda não recebem ultrassons e parte desse problema se dá devido à falta de experiência na leitura de ultrassons. Acreditamos que a expertise do Google em machine learning pode ajudar a resolver o problema e permitir gestações mais saudáveis ​​e melhores resultados para os pais e os bebês.

Em breve, publicaremos pesquisas em estágio inicial, com acesso aberto, que validam o uso da IA ​​para ajudar a realizar ultrassons e avaliações. Estamos animados em fazer parceria com a Northwestern Medicine para desenvolver e testar esses modelos e assim torná-los mais utilizáveis ​​em diferentes níveis de experiência e tecnologias. Com avaliações mais automatizadas e precisas dos riscos à saúde materna e fetal, esperamos diminuir os obstáculos para a saúde materna e ajudar as pessoas a obter cuidados oportunos nos ambientes certos.