Acesse o menu principal
Blog do Google Brasil
Diversidade, Equidade e Inclusão

Apoio à luta contra o racismo e a desigualdade racial

Article's hero media

No Google, temos um compromisso global por equidade racial e inclusão que se traduz em ações internas e externas, seja adotando medidas para aumentar a representatividade negra em cargos de liderança em nossa empresa, seja apoiando o trabalho de organizações que lutam contra o racismo e a desigualdade.


Em 2020, Sundar Pichai, CEO do Google e da Alphabet, reafirmou a importância de se reconhecer o racismo como um problema global. Por meio do Google.org, braço filantrópico do Google, anunciamos então nossa doação de R$ 2,5 milhões a instituições sem fins lucrativos que trabalham para promover a justiça racial no Brasil. 

O Fundo Baobá para Equidade Racial foi uma das organizações contempladas. Criado em 2011, trata-se do primeiro e único fundo dedicado exclusivamente à promoção da equidade racial para a população negra no Brasil. Com o recurso, o Fundo Baobá lança hoje o edital Vidas Negras: Dignidade e Justiça para a seleção de 10 organizações negras brasileiras que serão apoiadas com R$ 100 mil, cada uma, para a execução de projetos que viabilizem ações de enfrentamento a esses problemas.

As inscrições estão abertas e podem ser feitas pelo site do Fundo Baobá (baoba.org.br/edital-vidas-negras-dignidade-e-justica) até o dia 6 de junho. 

Inscrições abertas até 6 de junho
Além do aporte financeiro, cada uma das 10 entidades receberá suporte técnico, capacitação e acesso a ferramentas de planejamento, gestão, monitoramento e avaliação de projetos, captação de recursos, entre outros temas importantes para seu fortalecimento institucional.

As propostas devem se enquadrar em um dos seguintes temas: a) Enfrentamento à violência racial sistêmica; b) Proteção comunitária e promoção da equidade racial; c) Enfrentamento ao encarceramento em massa entre adultos e jovens negros e redução da idade penal para adolescentes; d) Reparação para vítimas e sobreviventes de injustiças criminais com viés racial.

“Apenas as ações de políticas públicas não têm sido suficientes para conter a crescente escalada de violências e outras violações de direitos que assolam a população negra brasileira”, diz Selma Moreira, diretora-executiva do Fundo Baobá. “Injustiças raciais provocam marcas e traumas que estarão sempre presentes na vida das vítimas, de seus familiares, de suas comunidades. Isso jamais poderá ser completamente reparado. Mas, em muitos casos, poderá ser evitado”, completa.

Além do Fundo Baobá, o Google.org destinou US$ 100 mil para o Núcleo de Pesquisa em Justiça Racial e Direito da Fundação Getúlio Vargas (FGV), liderado pelos professores Thiago Amparo e Marta Machado, com o objetivo de melhorar a coleta de informações sobre o estado da justiça racial no Brasil, a partir da análise de estudos de caso, dados e visualização das dimensões raciais da violência policial no Brasil.

Seguiremos trabalhando em defesa de mais inclusão e igualdade, desenvolvendo produtos que nos permitam continuar apoiando pessoas, negócios e comunidades. Com iniciativas como essa, esperamos contribuir para a construção de um futuro mais justo, viabilizando mudanças significativas e duradouras pela equidade racial em nosso país, e ampliando o alcance do legado de transformação social das organizações negras no Brasil.