Acesse o menu principal
Blog do Google Brasil
Saúde

Global.health: como dados anonimizados ajudam na luta contra a COVID-19

Dados sempre foram uma ferramenta vital na compreensão e no combate às doenças. Das ilustrações desenhadas à mão de Florence Nightingale em 1800 que mostravam como o saneamento precário contribuiu para doenças evitáveis, ​​até o primeiro repositório de dados de código aberto desenvolvido em resposta à crise de Ebola de 2014 na região da África Ocidental. Quando os primeiros casos de COVID-19 foram relatados em Wuhan, na China, os dados voltaram a se apresentar como um recurso valiosíssimo no combate à pandemia atual.

Um grupo de pesquisadores que documentou o início do surto uniu forças e começou a coletar dados que poderiam ajudar epidemiologistas de todo o mundo a modelar a trajetória da doença. Os pesquisadores vieram das universidades de Oxford (Reino Unido), Tsinghua (China), Northeastern e do Boston Children’s Hospital (EUA), entre outras.

No entanto, o fluxo inicial do trabalho não foi projetado para o aumento exponencial de casos. Os pesquisadores recorreram, então, ao Google.org em busca de ajuda. Como parte da contribuição de US$ 100 milhões do Google para iniciativas relacionadas à pandemia, o Google.org concedeu US$ 1,25 milhão em financiamento e providenciou uma equipe de 10 Fellows do Google.org em tempo integral e 7 voluntários do Google de meio período para ajudar no projeto.

Os voluntários do Google trabalharam com os pesquisadores para criar a Global.health, uma plataforma aberta e escalável que reúne milhões de casos COVID-19 anônimos de mais de 100 países. Essa plataforma ajuda epidemiologistas em todo o mundo a criar modelos da trajetória da COVID-19 e a rastrear suas variantes e futuras doenças infecciosas.

A necessidade de dados de caso confiáveis ​​e anônimos

Quando ocorre um surto, o acesso oportuno a dados organizados, confiáveis ​​e anônimos é fundamental para que os líderes de saúde pública informem as primeiras decisões políticas, intervenções médicas e alocações de recursos - tudo o que pode retardar a propagação de doenças e salvar vidas. Os insights derivados de dados de "lista de linha" (por exemplo, informações anônimas em nível de caso), ao contrário de dados agregados, como contagens de casos, são essenciais para os epidemiologistas realizarem análises estatísticas mais detalhadas e modelarem a eficácia das intervenções.

Voluntários da Universidade de Oxford começaram a curar manualmente esses dados, mas eles se espalharam por centenas de sites, em dezenas de formatos, em vários idiomas. A equipe do HealthMap no Hospital Infantil de Boston (Boston Children’s Hospital) também identificou relatórios iniciais de COVID-19 por meio da indexação automatizada de sites de notícias e fontes oficiais. Essas duas equipes uniram forças, compartilharam os dados e publicaram descobertas revisadas por pares para criar um recurso confiável para a comunidade global.

Unindo forças por meio do Google.org

Para ajudar a comunidade global de pesquisadores nesse importante trabalho, o Google.org ofereceu o apoio de 10 Fellows de Google.org que passaram 6 meses empenhados em tempo integral no desenvolvimento da Global.health, além de US$ 1,25 milhão em doação. Lado a lado com profissionais da Universidade de Oxford e do Boston Children’s Hospital, a equipe do Google.org conversou com pesquisadores e funcionários de saúde pública que trabalham na linha de frente para entender os desafios que enfrentaram ao lidarem com bases de dados sobre a doença – um processo manual e maçante que geralmente leva horas.

Garantir o sigilo dos dados é algo fundamental para a estrutura da plataforma. Os dados anonimizados usados ​​na Global.health vêm de fontes abertas de autoridades de saúde pública, e passam por um painel de especialistas em dados para garantir que as informações atendem rigidamente os requisitos de anonimato. Os Fellows do Google.org ajudaram a equipe da Global.health a implementar as melhores práticas de verificação de dados e de qualidade para garantir que nenhum dado pessoal chegasse à plataforma. (Todos os dados adicionados à plataforma são armazenados e hospedados na infraestrutura do Boston Children’s Hospital, não do Google.)

De olho no futuro

Com o apoio do Google.org e da The Rockefeller Foundation, a Global.health cresceu e se tornou um consórcio internacional de pesquisadores em universidades líderes que fazem a curadoria do banco de dados sobre COVID-19 mais abrangente do mundo. Inclui milhões de registros anonimizados de fontes confiáveis ​​em mais de 100 países.Hoje, a Global.health ajuda pesquisadores em todo o mundo a acessar dados úteis sobre a pandemia em questão de minutos. A flexibilidade da plataforma Global.health resulta também na possibilidade de ela poder ser adaptada para dados de quaisquer doenças infecciosas e contextos locais à medida que novos surtos ocorram. A Global.health forma, assim, uma base para pesquisadores e autoridades de saúde pública acessarem esses dados onde quer que estejam, seja em Nova York, Munique, Quioto, Nairóbi ou São Paulo.