Acesse o menu principal
Blog do Google Brasil
Google News Initiative

Journalist Studio estreia com duas novas ferramentas para repórteres

Article's hero media

De longas reportagens investigativas que expõem atos criminosos a análises de notícias quentes sobre decisões judiciais importantes, o jornalismo de qualidade frequentemente depende de coleções gigantescas de documentos, imagens e gravações de áudio. Os repórteres muitas vezes se deparam com uma escolha difícil: dedicar-se por semanas e fazer tudo sozinho, juntar uma equipe de colegas profissionais ou tentar desenvolver um programa para extrair os dados.

Essa frustração bem conhecida foi um grande foco de minha carreira em redações na época em que atuei como diretora de operações digitais do The Washington Post e diretora de produto digital do Politico’s. Eu me vi trabalhando constantemente para encontrar uma solução para esta questão: como os repórteres podem concentrar mais tempo em seus pontos fortes: encontrar, reportar e escrever boas histórias?

Nossa equipe no Google passou os últimos dois anos trabalhando em colaboração com redações para ajudar a resolver esse problema. Como seria se colocássemos o melhor do mecanismo de busca, inteligência artificial (IA) e tecnologia de aprendizado de máquina do Google nas mãos dos repórteres?

Hoje estamos anunciando o Journalist Studio – um conjunto de ferramentas que usam tecnologia para ajudar repórteres a fazer seu trabalho com mais eficiência, segurança e criatividade – e dois novos produtos para repórteres.

A primeira ferramenta é a Pinpoint: ela ajuda jornalistas a examinar rapidamente centenas de milhares de documentos, identificando e organizando automaticamente as pessoas, organizações e locais mencionados com mais frequência. Em vez de pedir aos usuários que pressionem "Ctrl + F" diversas vezes, a ferramenta auxilia o trabalho de reportagem com o uso da Busca do Google e o Painel de informações, reconhecimento óptico de caracteres e tecnologias de fala para texto para pesquisar PDFs digitalizados, imagens, notas manuscritas, e-mails e arquivos de áudio.

Os repórteres podem pesquisar documentos na Pinpoint, a qual destaca termos buscados e seus sinônimos

A ferramenta já se provou útil em reportagens investigativas como a feita pelo USA TODAY sobre as 40.600 mortes relacionadas a COVID-19 e vinculadas a casas de repouso para idosos; e o material do Reveal sobre o "desastre da testagem" do COVID-19 nos centros de detenção de estrangeiros americanos, bem como um artigo do Washington Post sobre a crise de opioides. A velocidade da Pinpoint também ajudou os repórteres em matérias mais curtas, como a análise do Rappler, das Filipinas, dos relatórios da CIA da década de 1970; e também notícias urgentes como a verificação de fatos feito pelo Verificado MX, do México, das atualizações diárias do governo local sobre a pandemia.

O Pinpoint está disponível agora e repórteres podem se inscrever para solicitar acesso. A ferramenta permite que jornalistas façam upload e analisem documentos em sete idiomas: português, inglês, espanhol, francês, alemão, italiano e polonês. Para incentivar a colaboração, também firmamos parceria com o The Center for Public Integrity, Document Cloud, o programa Big Local News da Universidade de Stanford e o The Washington Post para criar coleções públicas compartilhadas que estão disponíveis para todos os usuários.

A segunda ferramenta que estamos lançando é uma prévia da versão beta do The Common Knowledge Project, uma nova maneira de jornalistas explorarem, visualizarem e compartilharem dados sobre questões importantes em suas comunidades locais. Os repórteres podem criar seus próprios gráficos interativos a partir de milhares de dados em minutos, incorporá-los em matérias e compartilhá-los nas redes sociais.

Um exemplo de visualização de dados do Projeto de Conhecimento Comum comparando o número de pessoas de certas idades em duas cidades diferentes.

O Common Knowledge Project é desenvolvido pela Polygraph, uma equipe premiada de jornalismo visual, que tem apoio da Google News Initiative. Os dados vêm do Data Commons, que compila e reúne milhares de bases de dados públicas de organizações, incluindo o Censo e os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos EUA. Atualmente, a ferramenta inclui dados dos EUA sobre questões como demografia, economia, habitação, educação e criminalidade. Há recursos que você gostaria de ver? Conte para o Polygraph por meio do formulário de feedback na ferramenta.

O jornalismo de qualidade é fundamental para nossas sociedades. Ao lançar essas ferramentas, esperamos continuar usando o melhor do Google para apoiar esse trabalho importante.