Acesse o menu principal
Blog do Google Brasil
Eleições

Nossos esforços na reta final das eleições brasileiras de 2022

Article's hero media

As eleições brasileiras de 2022 são prioridade para nós e começamos a divulgar nossos planos com um ano de antecedência, quando compartilhamos detalhes sobre nosso compromisso de longa data com as eleições no Brasil, incluindo a previsão de lançamento do nosso Relatório de Transparência dos Anúncios Políticos, entre outras novidades.

Nossas plataformas abertas ajudam as pessoas a terem acesso à informação e a diferentes perspectivas. Ao nos aproximarmos do fim deste ciclo eleitoral, acreditamos ser importante continuar demonstrando como os nossos produtos podem ajudar os brasileiros a estarem mais bem informados para o segundo turno neste 30 de outubro.

Reforçando nossa colaboração com a Justiça Eleitoral

Desde 2014, o Google tem mantido um diálogo aberto com a Justiça Eleitoral, a autoridade responsável pela organização do processo eleitoral no Brasil, sobre diversas iniciativas. Ao mesmo tempo, temos desenvolvido e aplicado políticas para proteger nossos usuários e promover o livre debate sobre as eleições em nossas plataformas.

Anunciamos novas políticas para os nossos produtos e seguimos lançando recursos e ferramentas para conectar os brasileiros a informações de fontes confiáveis sobre o processo eleitoral, contribuindo para a sua segurança e integridade. Também desenvolvemos novas parcerias para reforçar o jornalismo e o trabalho de checagem de fatos no Brasil.

Em paralelo, nossas equipes trabalham continuamente para atender às ordens judiciais emitidas pela Justiça Eleitoral nos termos da Constituição, do Marco Civil da Internet e da legislação eleitoral.

Liberdade de expressão e proteção dos nossos usuários

Trabalhamos para dar espaço a novas e múltiplas vozes que possam surgir, encorajando a liberdade de expressão. Isto significa que, por vezes, você pode encontrar em uma plataforma como o YouTube conteúdo com ideias com as quais talvez não concorde. Por outro lado, reconhecemos também que são necessárias regras para manter os nossos usuários seguros e protegidos. É por isso que estabelecemos políticas para os nossos produtos.

O YouTube tem políticas contra conteúdo perigoso ou depreciativo e estabeleceu políticas que proíbem certos tipos de desinformação sobre as eleições, incluindo regras relacionadas à integridade eleitoral e supressão de eleitores. Aplicamos as nossas políticas em escala por meio de uma combinação de aprendizado de máquina e revisão humana. Ao mesmo tempo, destacamos informações de fontes oficiais e confiáveis e limitamos conteúdos sobre as eleições que ficam no limite das nossas políticas. Essas políticas valem igualmente para todos os criadores e compartilhamos o nosso trabalho por meio do Relatório de Transparência. Apenas no primeiro semestre de 2022, removemos mais de 434.000 vídeos no Brasil por violar nossas Diretrizes de Comunidade do YouTube.

Também temos políticas rígidas em nossas plataformas de publicidade, que proíbem anúncios que contenham declarações comprovadamente falsas e que possam prejudicar de forma significativa a participação ou a confiança no processo eleitoral ou democrático. Também temos políticas que proíbem conteúdo perigoso ou depreciativo, que promovam discriminação ou inicitação ao ódio, além de ameaça ou incitação a violência, entre outras.

Destacando conteúdo de qualidade

O período que antecede o dia da votação é quando mais se busca por informações que sejam úteis e relevantes sobre o processo eleitoral. Recursos como a experiência "Como Votar" na Busca do Google permitem que o brasileiro encontre, no topo da página de resultados, respostas da Justiça Eleitoral para perguntas essenciais como data, horário e ordem de votação, documentação necessária, uso correto da urna eletrônica, entre outras.

No YouTube, quando os brasileiros procuram por vídeos sobre as eleições, exibimos painéis informativos com conteúdo da Justiça Eleitoral, incluindo detalhes sobre a integridade da eleição e as urnas eletrônicas. Recursos como esses foram utilizados por milhões de brasileiros para encontrar informação confiável no primeiro turno das eleições, e seguirão atualizados e disponíveis em todo o Brasil no período que antecede o segundo turno.

Tela com o painel de 'Como votar' na Busca do Google e painéis informativos do YouTube

Tela com o painel de 'Como votar' na Busca do Google e painéis informativos do YouTube

Apoio à checagem e verificação de fatos

Com o objetivo de fortalecer o ecossistema de checagem e verificação de conteúdo suspeito na internet, lançamos novas iniciativas de apoio a esses profissionais no Brasil em 2022, com foco especial nas eleições. Por exemplo, renovamos a nossa parceria com o Projeto Comprova, a maior coligação de verificação de checagem de fatos no Brasil, formada por jornalistas de 43 veículos de comunicação e financiamos o desenvolvimento do seu aplicativo, o primeiro e único do gênero no Brasil.

Por meio da Google News Initiative, ajudamos a Abraji (Associação Brasileira de Jornalismo Investigativo) a lançar o Programa Núcleos de Checagem Eleitoral e treinar dezenas de jornalistas em mais de 30 redações e promovemos a criação de centros de verificação de fatos no Brasil, ampliando este importante trabalho a todos os estados brasileiros. Com o ICFJ (Centro Internacional de Jornalistas), o YouTube lançou o Jogo Limpo e apoiou seis projetos inovadores para ajudar a combater a desinformação eleitoral. Todas estas iniciativas estão em funcionamento, ajudando os brasileiros a verificar as informações antes de votarem.

Transparência nos anúncios eleitorais

Quando se trata de publicidade eleitoral, queremos garantir que os eleitores possam confiar nos anúncios das nossas plataformas e o Relatório de Transparência dos Anúncios Políticos é um fator essencial para isso. O relatório, lançado em junho, oferece acesso a informações como segmentação, localização e formatos da publicidade eleitoral em níveis federal e estadual. O Relatório de Transparência tem sido uma ferramenta muito utilizada por jornalistas e pela sociedade civil para acompanhar o modo como os candidatos estão utilizando nossas plataformas de publicidade para se conectarem com cidadãos brasileiros.

Interrupção temporária de anúncios eleitorais em nossas plataformas

Com a mais recente resolução aprovada pelo Tribunal Superior Eleitoral, os partidos políticos, candidatos, coligações e federações são obrigados a deixar de exibir propaganda eleitoral na internet 48 horas antes e 24 horas após o fim do dia das eleições.

Desse modo, durante esse período, estamos adotando uma abordagem proativa e deixaremos de exibir anúncios eleitorais no Brasil, tal como definidos em nossas políticas. É importante notar que, apesar de estarmos tomando medidas para implementar essa suspensão, os anunciantes continuam plenamente responsáveis por suas campanhas e sujeitos à legislação aplicável.

Durante este período eleitoral, nossas equipes trabalham 24 horas por dia para proteger os brasileiros e a integridade das nossas plataformas. Permanecemos vigilantes e continuaremos a acompanhar de perto as eleições antes, durante e após o dia da votação, trabalhando em colaboração com as autoridades brasileiras, organizações da sociedade civil e os partidos políticos.