Acesse o menu principal
Blog do Google Brasil
Googlers

Conheça Mariana Torquato, criadora do Vai uma mãozinha aí? e gerente de parcerias do YouTube Brasil

Article's hero media

São muitas as mulheres que me inspiraram no dia a dia trabalhando no Google. Uma delas é a Mariana Torquato, que, além de atuar como Gerente de Parcerias no YouTube Brasil, é pioneira e uma das principais vozes do movimento do anticapacitismo no Brasil.

Na nova edição da série #MulheresdoGoogleBrasil, que tem o intuito de celebrar e exaltar algumas das mulheres que fazem a diferença no Google Brasil, tive a oportunidade de entrevistar e conhecer um pouco mais sobre sua jornada profissional até chegar ao Google, algumas curiosidades que nem imaginava sobre ela (sim, fiquei surpresa também!) e sobre como ela se preparou para suas entrevistas.

A Mari é mestre em Políticas Públicas pela Hertie School, na Alemanha. Natural de Florianópolis, atualmente é a criadora do maior canal sobre deficiência do YouTube Brasil, o "Vai uma mãozinha aí?". Desde 2016 usa suas redes sociais para falar com bom humor de temas ainda considerados “tabus” numa sociedade que insiste em focar na deficiência e não nas pessoas.

Confira nossa conversa a seguir:

Qual conselho você daria para a Mariana no começo da carreira?

Você não precisa se encaixar nas caixinhas que as pessoas dizem que você deve se encaixar. Desde nova eu era incentivada a buscar ser servidora pública por conta das cotas para pessoas com deficiência nos concursos e a estabilidade que um emprego público proporciona para pessoas com deficiência, que muitas vezes são tratadas de forma desigual e injusta no mercado de trabalho. Por isso, durante minha trajetória profissional, nem imaginava trabalhar numa multinacional como o Google, lembro até de ler estudos de casos sobre o Google na Universidade e pensar que não era pra mim. Apesar de ser muito estudiosa e dedicada, eu acabava diminuindo meu potencial pra caber na caixinha que terceiros pré-determinaram que seria o melhor caminho pra mim, e minha sorte e perspectivas sobre meu próprio potencial começaram a mudar quando eu comecei o meu canal no YouTube.

O que as pessoas ficariam surpresas ao saberem sobre você?

Nesses anos de internet eu já contei tantas histórias inacreditáveis, bizarras, do tipo que até Deus duvida, que eu acho difícil revelar algo que chocaria quem me acompanha, mas lá vai: creio que todos ficariam chocados ao saber que, no fundo, eu sou tímida e fico nervosa pra falar em público e fazer apresentações.

Como você descreveria seu trabalho no Google para uma criança?

Sabe aquele canal que você assiste no YouTube Kids? Então, eu ajudo os criadores desses canais a fazerem o melhor conteúdo possível pra você, dou dicas, oportunidades, faço análises de desempenho, etc, tudo para que o YouTube e nossos parceiros produzam o melhor conteúdo possível.

O que você fazia antes de entrar no Google?

Como eu disse antes, eu sempre fui estimulada pelas pessoas a ser servidora pública, então fui servidora pública de 2012 até 2021, quando entrei no Google.

Como você se preparou para a entrevista no Google?

Essa história é engraçada: como eu era servidora pública, eu nunca havia participado de um processo seletivo de emprego numa empresa privada, e do nada, já comecei numa das empresas mais reconhecidas e desejadas do mundo. Eu estava em Berlim terminando meu mestrado em políticas públicas, e não tive muito tempo pra me preparar, aliás, eu nem sabia como me preparar. Então, como boa YouTuber, eu pesquisei no YouTube dicas de como se preparar para uma entrevista no Google, e deu certo! O YouTube sempre foi um pilar na minha vida e para entrar no Google não foi diferente.

Nos conte sobre um projeto do qual você se orgulha.

Turma da Mônica no Paulistão é um projeto recente que dá muito orgulho. Como trabalho com conteúdo infantil, conseguir realizar essa parceria entre um projeto tão importante como o Paulistão no YouTube e um canal infantil faz parte de uma visão maior de ilustrar como o conteúdo infantil pode sair do óbvio e encaixar em diversas temáticas. Com a inclusão das narrações dos personagens da Turma da Mônica nos jogos, o projeto ganhou destaque na mídia e até o Fábio Coelho, Presidente do Google Brasil,compartilhou o projeto no seu perfil no LinkedIn.

Diga o nome de uma pessoa com deficiência que merece uma busca no Google para conhecermos mais sobre ela.

Joga no GoogleIzabel Loureiro. Todo mundo no Brasil precisa conhecer essa mulher.

Série #MulheresdoGoogleBrasil

Para conhecer histórias de profissionais que trabalham em diferentes áreas da companhia no Brasil, acesse a seção Googlers no nosso blog oficial! Se você tem interesse em conhecer o dia a dia de uma engenheira da nuvem, você pode acessar aentrevista com a Beatriz Alonso, que compartilhou sua experiência trabalhando no time de Google Cloud e as iniciativas que desenvolve para incentivar outras mulheres a trilharem a carreira em tecnologia.